Pesquisar neste blogue

A carregar...
Loading...

Saudação Escutista

A saudação e o cumprimento.

História Em 1893, B.-P. foi enviado numa expedição à colónia britância da Costa do Ouro (África Ocidental), para pacificar os Ashantis, fazer cumprir o tratado de 1874 e pôr termo ao contrabando de escravos. Quando da queda do Kamussi, um dos Chefes veio ao encontro de B.-P. e estendeu-lhe a mão esquerda. B.-P. estendeu-lhe a mão direita, mas o Chefe disse-lhe: "Não, no meu país, ao mais bravo entre os bravos cumprimenta-se com a mão esquerda". B.-P. reparou que, enquanto o chefe lhe estendia a mão esquerda, levantava a direita aberta, por cima da cabeça, o que significava que era um amigo leal, pois a mão utilizada normalmente para segurar a arma estava vazia. A mão esquerda também era a mão que segurava no escudo e quando um guerreiro cumprimentava com a mão esquerda tinha que afastar o escudo, ficando, portanto, desprotegido. Este também era um sinal de confiança e de lealdade para com a pessoa que se estava a cumprimentar. O aperto de mão com a mão esquerda demonstra algo ainda mais nobre, o desejo dos homens acreditarem uns nos outros! Os escuteiros cumprimentam-se apertando a mão esquerda, entrelaçando os dedos mindinhos. O sinal escutista faz-se levantando a mão direita, de palma para a frente, com o polegar apoiado na unha do dedo mindinho e os outros dedos apontados para cima. Significado Os três dedos lembram ao escuteiro os três artigos da promessa. O dedo polegar sobre o dedo mindinho é interpretado como a afirmação de que os escuteiros estão conscientes de que o mais forte protege o mais fraco. O cumprimento é feito com a mão esquerda para deixar a mão direita livre para fazer a saudação e porque é a mão do lado do coração, que é o símbolo da amizade. O dedos mindinhos entrelaçados permitem um aperto de mão mais forte, sinal de maior união, e simbolizam um abraço trocado entre escuteiros, como sinal de profunda amizade. A saudação dos Lobitos Os Lobitos têm uma forma especial de se saudarem. A saudação dos Lobitos é como está na gravura: A saudação dos Lobitos pretende representar as orelhas de um lobo quando está com atenção, e os dois artigos da Lei do Lobito. A posição do polegar sobre o anelar e o mindinho tem o mesmo significado que na saudação do resto dos escuteiros. Ocasiões para se fazer a saudação Os escuteiros devem sempre fazer a saudação em sinal de respeito, quando se hasteia a Bandeira Nacional, a entidades oficiais, sempre que se entoe o Hino Nacional ou do CNE. Os escuteiros devem-se saudar uns aos outros com o cumprimento escutista. Sendo o primeiro escuteiro a ver o outro, o que saúda, independentemente da categoria, cargo ou posição. Tipos de saudação Se um escuteiro estiver fardado e com boina ou chapéu, a saudação é feita elevando a mão direita de modo a que a extremidade do dedo indicador toque a testa, um pouco acima da sobrancelha. Esta saudação chama-se a saudação à boina. Quando um escuteiro está fardado e transporta a vara, a saudação não é executada com a mão direita; mas sim levando rapidamente o braço esquerdo à posição horizontal, tocando com os dedos a formar o sinal escutista, na vara. A este tipo de saudação dá-se o nome de saudação à vara.

Sem comentários:

Enviar um comentário